Monthly Archives: November 2010

Stormy times

Fuck up girl who is still looking her peace of mind as usual. Unsuccessfully. As usual. Awake  nights, worries, pains, and anxiety crises. Tears, emptiness, failure feelings. Regrets. Needs.

Emptiness

– Did you fought?

– No.

– Your mom said you did.

– No, it´s not her. Not this time.

Advertisements

Amor e ódio

Numa relação de amor e ódio: take me to dreamland tonight.


– Tinha um cara morto ao meu lado.

– O que foi, filha?

– Um cara morto, ao meu lado, no ônibus.

– Não, não tinha.

– Tinha sim, sem camisa, bermuda vermelha, havaianas …Eu conheço aquela falta de expressão. Drogas. Não dá nem para saber se ele está sofrendo. Completamente vazio. Morto. O corpo é um invólucro sem conteúdo. Oco, oco.

– Eu não sei por que você nasceu assim, Beatriz. Odeio quando você vem falar comigo. Não gosto das suas conversas.

– Eu sei.

– Por favor, não faça mais isso.

– Você vai reclamar que eu não converso.

– Eu sei.

– E já te pedi para me chamar de Bia, só.

entrou no quarto.

 


Pelas noites

De madrugada…

M. diz:
olha
estou numas de planejar seduzir o * (ator, poeta, produtor, tudo de bom famoso).
D. diz:
KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK
J.URA???
Ele é amigo de um amigo meu.
M. diz:
juro
D. diz:
E — dizem — gay.
M.diz:
I KNEW IT
D. diz:
Ele tá maravilhoso na série do # (escritor).
M. diz:
ai, esse meu gaydar naum falha
D. diz:
Fiquei   também.
M. diz:
ele é maravilhoso, neh?
D. diz:
Muito.
M. diz:
ia ser cagado se naum fosse ele
D. diz:
hauuhauhuhauhauha
M. diz:
faleimesmo
D. diz:
O # deve ter escolhido.
Porque fazx muito sentido.
*faz
Aliás, a série está LINDA.
M. diz:
sim
mas perdi a fé no #
acho ele babaca, prepotente e deve foder mal
faleimesmo [2]
D. diz:
EXATO.
O cara que eu tava flertando, @, disse que ele insuportável, se acha.
E, pelo que conheço, é isso mesmo.
M. diz:
pois é
PENA q o * é gay
ai, eu sabia
inda é passivo
aposto TUDO!

… e continua…

quase um bate papo da uol


Entre espaços

espaço

s. m.
1. Intervalo entre limites.
2. Vão; claro; lugar vazio.
3. Tempo (em geral).
4. Tempo (em que se opera).
5. Tempo (que medeia entre duas operações ou actos!).
6. Capacidade (de lugar); lugar; sítio.
7. Imensidade do céu.
8. Tip. Peça com que se formam os intervalos na composição.

Fisicamente, Demócrito de Abdera tem como ponto de partida filosófico fazer com que se acredite na realidade do movimento. Sendo o pensamento, movimento, então tanto o não ser quanto o ser seriam reais em mesma instância. O espaço vazio é necessário para que o movimento ocorra uma vez que ele não se dá num espaço cheio.Um corpo – aquele corpo, o teu corpo – não ocupa o mesmo espaço que o meu, nem a pequenez do meu corpo não pode de fato entrar dentro do seu, tornarme-ia ti, seríamos um infinito de corpos no espaço de um só.  Enquanto eu me condesasse em teu espaço, te rarefaria em mim, nas minhas mal curvas, num espaço diminuto para que pudesses se espaçar, se desaglomerar enquanto ao mesmo tempo me liquefaria em ti. Mas estes movimentos só acontecem no vazio de nossos corpos, onde os movimentos de minhas mãos não colidem com teus cabelos e meu suor não se cristaliza em sua tez.

Nossos interstícios vibram flamejantes à mera presença de um toque ainda acidental. Não reclamam espaço e sim, proximidade, o impossível. Tenho de discordar de que o ser e o movimento sejam as unidades indivizíveis. Me divido inteira em lágrimas, dolorida na ausência, num vazio que não se preenche dos átomos que se fundem com os meus, em imaginação, quando fecho os olhos e o corpo em cima de mim… o sorriso que vejo…Me divido inteira entre os dias e noites, os copos de cerveja abandonados e os lençóis desfeitos, me divido em palavras e gestos que sou obrigada a abster, me divido nas palavras que não pronuncio, estalantes na ponta da língua e no beijo, onde, quem há de dizer que o espaço não é o mesmo e que nossos átomos não são constelações em explosão?


Mary: Adults are, like, this mess of sadness and phobias.


Mujeres de ojos grandes

“La tía Daniela se enamoró como se enamoran siempre las mujeres inteligentes: como una idiota.”

“- Lhegó ayer – le contestó a la tía Daniela un mediodía.

– ¿ Cómo sabes?

– Lo vi. Tocó en el balcón como antes.

– ¿ Y que sentiste?

– Nada.

– ¿Y qué te dijo?

– Todo.

– ¿ Y que le contestaste?

– Cerré.

– ¿ Y ahora? – preguntó la terapista?

– Ahora sí nos vamos a la Italia: los ausentes siempre se equivocan.

– Y se fueran a Italia por la voz del Dante: Piovverà dentro a l´alta fantasía.”

MASTRETTA, Ángeles. Mujeres de ojos grandes. 4ed. Buenos Aires: Booket, 2008.


%d bloggers like this: