Monthly Archives: December 2010

Vôo 1604

São Paulo foi bom pra mim. Fez sol, fez um calor ameno e agradável com rajadas de vento ocasionais. Trouxe Bel, sempre pronta a fazer o que quer que seja pra que eu fique bem, mesmo que isso signifique encurtar minha estadia.

São Paulo me recebeu bem.

mas,


26 de dezembro

Há um ano atrás, exatamente, no dia 26 de dezembro de 2009, a Glória, após uma breve estada na Cinelândia, se descortinava num lindo dia de sol. A Praça Paris, com seus chafarizes, vazia, só continha duas pessoas, que andavam caladas, sentido o vento quente de verão.

Numa longa caminhada pelo Aterro, Catete e Largo do Machado, ao entardecer, poucas palavras foram ditas no que, fora o dia mais lindo do ano. Os corações batiam ferozes e em alto e bom som, suprimindo o silêncio covarde daqueles que guardam palavras de amor.

– Que bom que você está aqui. Apesar de tudo. Amo você.

Era o que eu queria dizer. E não disse. Passou-se um ano e eu disse mais do que isso, mais do que devia, porém… minhas palavras ainda não cessaram. O que hoje espero, não é bom. Uma certeza, de encontrar na minha cama, quando eu voltar. Do fim.

– Que pena que você não está aqui. Apesar de tudo. Amo você.

 


Thieves

There’s thieves among us
Painting the walls
All kinds of lies, and lies
I never told it all

What’s in my pocket?
You never knew
You didn’t know me well
So well as I knew you

And I know
And you know too
That a love like ours
Is terrible news

But that wont stop me crying
No, that wont stop me
Crying over you

I’m not a prophet
Old love is in me
New love just seeps right in
And it make me guilty

Why do you look like that?
It’s not all that bad
I’ll see you sometime
Sometimes lonely isn’t sad

And I know
And you know too
That a love like ours
Is terrible news

But that won’t stop me crying
No, that won’t stop me
Crying over you

No, that won’t stop me
Crying over you

No, that won’t stop me
Crying over you

We two are makers
Just made this mess
Two broken hearts don’t beat
Any less

[ Thieves – She and Him ]


My turn

Em que eu acredito?

No Amor,  Afeto,  Amizade

Na cumplicidade entre irmãos

Em Literatura, música clássica e na Arte

Na amizade pós término

O que eu aprecio?

Literatura – prosa, principalmente

Amar e ser amada

Escrever em estado febril

Conseguir dormir

Sal

Meus defeitos

Desmarcar compromissos em cima da hora

Falar demais quando não preciso e de menos quando preciso

Tendência à procrastinação

Depressão, melancolia, facilidade de entristecer-me


Leituras

31/12/56

1- Nada fica sem ser interpretado.

2- Interpretar é determinar, restringir; ou esfoliar, ler por dentro do sentido.

3- Interpretação é o meio pelo qual justificamos o contexto.

4- Interpretar uma palavra é diferente de defini-la; significa especificar uma gama de contextos (não equivalências).

beijos como balas, beijos com sabor de sabão, beijos de lábios que dão a sensação de um cérebro molhado de um bezerro.

Se entregar

Se entregar

Se entregar

De verdade

[ O psicólogo de Harvard ] Jerry Brunner: Como é que X julga que Y é seu amigo (gosta dele)? Mulheres tendem a julgar com base no comportamento generoso – Se Y deu presentes para X etc, X julga que Y gosta dela. Homens tendem a desconfiar do comportamento generoso (tido como homossexual?), julgam com base na prova de um acordo. X julga que Y gosta dele se concorda com ele.

Um sentido de “interpretação”: levar em conta certas coisas.

Quando criança, eu era uma pequena e ardorosa deísta.

1957

Em que eu acredito?

Na vida privada

Em mostrar cultura

Em música, Shakespeare, prédios antigos

O que eu aprecio?

Música

Estar apaixonada

Crianças

Dormir

Carne

Meus defeitos

Nunca chegar na hora

Mentir, falar demais

Preguiça

Falta de vontade para recusar

SONTAG, Susan. Diários: (1947 -63); organização e prefácio David Rieff; tradução Rubens Figueiredo – São Paulo: Companhia das Letras, 2009.

 


And you just replay it in your head over and over again and you look for those first signs of trouble?

Tom: It’s these cards and the movies and the pop songs, they’re to blame for all lies and the heartache, everything.

So, I guess I´m Nancy too.



%d bloggers like this: