Monthly Archives: December 2011

I wish that something would happen

Advertisements

Quincy Frajola

me falta o ar. me falta a vida. a dele e a minha.


Him

Burroughs and cat

“Os antigos egípcios pranteavam a perda de um gato e raspavam as sobrancelhas. E porque a perda de um gato não pode ser tão tocante e sentida quanto qualquer perda?As pequenas mortes são as mais tristes como mortes de macacos.”*

Quincy. Quincy Frajola. Quin Quin. Um espécie preto e branco. Tão preto quanto branco, por igual. Olhos âmbar e um focinho cor- de – rosa com uma mancha negra. Manhoso e mal humorado, entre Garfield e Frajola nos seus melhores dias de caçador, quando chegou a abater uma cigarra, a qual torturou. O grande querido das vizinhas – tanto a loira quanto a morena, o grande querido das outras gatas e, é claro, o grande querido das mulheres da casa. O amor da minha vida, era um gato que morreu.
Pensar em ir à casa que ia toda semana sem ele, é como imaginar ir a uma casa vazia, onde ninguém me esperará com uma aconchegante pelúcia bicolor a se espalhar ao meu lado, ninguém para determinar que é chegada a hora de chupar o dedo, nenhum miado pela manhã, ninguém para avisar que o leite está fervendo.
Obrigada a viver, passando o meu luto quase como se ele não existisse, com a alma amputada e sabendo que aqueles olhos não mais recairão em mim, que eu não poderei mais esfregar meu nariz no dele e que, quando estiver chorando, não virá ninguém a ficar de vigília ao meu lado, sem arredar o pé e sem dizer nada e nem pedir nada, só querendo que eu melhore, só estando ali para mim. Dizer “amor”, é pouco. Era uma simbiose de espíritos. Nós éramos.

“Eu já disse que gatos servem como Familiares, companheiros psíquicos.”Eles são mesmo uma companhia”. Os Familiares de um velho escritor são suas memórias, cenas e personagens de seu passado, real ou imaginário. Um psicanalista diria que eu estou simplesmente projetando essas fantasias em meus gatos. Sim, de maneira bem simples e literal, os gatos servem como telas sensitivas para atitudes bastante precisas quando escalados em papéis apropriados. Os papéis podem mudar e os gatos podem assumir vários papéis: minha mãe,minha esposa, Joan, Jane Bowles; meu filho, Billy; meu pai; Kiki e outros amigos;Denton Welch, que me influenciou mais do que qualquer outro escritor, apesar de nunca termos nos conhecido.Os gatos podem ser meu último elo com uma espécie moribunda.”
*BURROUGHS, William. O gato por dentro – Porto Alegre, RS: L&PM, 2007


%d bloggers like this: